top of page

Reportagens multimídias

Penso que devemos ter 3 reportagens por território
1 - Reportagem Mãe: reportagem com a cara do compo e para o campo. A ideia é que o governo crie um site especifico para que o agricultor familiar possa utilizar como cartão de visita para seus compradores. Aqui vamos apresentar o território e o que se tem nele. Após levantamento que fiz dos sites que divulgam os produtos, não encontrei - pode ser que exista - nada feito por território. Nós ainda não nos acostumamos com essa divisão política. Criar um site assim para a agricultura familiar seria um facilitador para o escoamento de mercadoria, principal problema, desde sempre. Este site, com os produtos por território, estaria dentro da plataforma do governo e nas reportagens feitas para os sites d enotícias, nós colocaríamos um indicativo para a visitar a plataforma do agricultor familiar, fazer reportagens soltas não cria rede. 

2 - Reportagem para sites de notícias cuja característica do público seja daqueles que se interessam pela leitura e por informações estátiscas. Que entendam gráficos e etc.

3 - Reportagem para sites de cunho popular. Simples de ser entendida por aqueles que não gostam tanto de ler textos. Que não enetendem infográficos... mas que são curiosos pe
las coisas da vida. 

  • Para as duas reportagens para os sites a base é a mesma: a reportagem mãe. A gente insere dados ou retira dados;
    A reportagem mãe parte da pesquisa teórica, já feita por diversos orgãos e instituiões e da pesquisa empírica com a filmagem orgânica do caminho e das pessoa;

  • Somente na reportagem mãe terá um quadro de contatos com a finalidade de facilitar a venda dos produtos, desde sempre o principal problema da agricultura familiar é o escoamento de mercadoria. 

  • Na Mesma plataforma poderia se criar um espaço comunitário, onde agricultores, compradores e interessados pudessem estabelecer uma conexão e diálogos produtivos. proposta 

Este é o meu lugar

ir a campo. 

Reportagens multimidias leves, feitas para todas as pessoas, mas principalmente para agricultores e compradores. Linguagem fácil, com 3 nichos de reportagens específicas. A intenção  é apresentar e fazer conhecer as produções da agricultura familiar por território, assim se a pessoa quiser comprar geleia de umbu, por exemplo, sabe que tem uma "grande"  produção deste ítem no Território do São Francisco. Aqui terá também a indicação de contato das associações, produtores, APLs, etc. A finalidade é ser o cartão de apresentação do produtor, um acesso fácil para comprador conhecer os produtos por território. Estabelecer uma rede dentro da plataforma do governo para o produtor utilizar como ferramenta de troca de informação e referência, pensar nisto é fortalecimento para o Governo. Nesta parte não precisa de infográficos, de dados governamentais e nem de estudos. É o campo produtivo dentro da rede. Um lugar com facilidade de acesso e entendimento com a finalidadee principal de criar uma rede de produtores e compradores. Poderia se pensar numa estratégia para ser  funcionar como "um hub" que conecta pessoas. Inclusive tendo um espaço de diálogo somente para produtores e compradores cadastrados. 

A pessoa fala muitoooo.

Mas não aguento refazer ou editar.

Que lugar é esse? O que as pessoas produzem de agricultura familiar? Quai são os municípios que compõe. A terra é boa pra plantar o que? Uma geral.

O produtor - quem produz, o que produz, como produz, quais tecnologias utiliza, onde encontrar, arranjos produtivos, contatos diretos para a comercialização, organizações e/ou associações de beneficiamento, arranjos produtivos.

História pessoal que envolva a educação - Como aprendeu a fazer: quem ensina e quem aprende, pegando o viés educacional, formal ou não, que servem de lastro. Quem ensinou, como aprendeu, porque faz. Aqui podemos valorizar os cursos que aplicam a pedagogia da alternância, que parte do principio da aplicação do aprendizado no campo – sempre tem alguém que vem desta metodologia de educação e Gerônimo vem da educação também. 

Uma pilha de frutos tropicais

Reportagens para sites de notícias

Reportagens para sites com público que tenha interesse por dados estatísticos e sirvam como divulgação para as benfeitorias do Estado 

Aqui pegaremos a reportagem mãe, formalizamos a escrita para "intelectuais" e enxertamos dados teóricos, dados estatisticos, ifográficos, comparações etc. 

Reportagens para sites com público que tenha nível de escolaridade abaixo de universitário

Aqui pegaremos a reportagem mãe e tiramos tudo que não interessa e convergimos para uma fala mais da cidade, simples mas sem muitos detalhes que somente ao produtor. Hoje, estamos vendo uma grande demanda com olhar na saúde, então a gente pega uma determinada produção e fala para que serve na saúde alimentar, por exemplo.

OBSERVAÇÃO: em todas as reportagens teremos o link do tipo "se você quiser saber mais sobre os produtores de banana, você vai encontrar no site do governo X... algo deste tipo. A reportagem nos sites de notícias levará ao território de produção daquele produto e aos produtores. 

S

Equipe de Campo  captação de imagens, áudios e produção de conteúdo

  1 Jornalista (euzinha aqui) 

1 Cinegrafista

1 Técnico captação de áudio

1 Motorista

Equipe na Cidade

  edição de vídeos, pesquisa de dados, construção das reportagens

  1 Jornalista - Coordenador Geral  (Alberto Oliveira) 

1 Jornalista com escrita leve para reportagem mãe, penso muito em Doris.

1 Jornalista com escrita mais intelectualizada

1 editor de vídeo - sob minha responsabilidade

1 pessoa para pesquisar,  organizar e distribuir os dados para a equipe, pode ser um bibliotecário digital. (esta função é importantíssima)

METODOLOGIA

1 - Planejamento Geral com datas e territórios a ser visistados

2 - Planejamento da viagem

8 dias antes da viagem -(serviço de secretaria) estabelecer contato com a prefeitura (se for parceira do Estado) e solicitar um guia local - é importante para a locomoção tranquila e o acesso aos produtores; caso não seja, nos viramos bem.
7 dias antes de sair para campo: (serviço de secretaria) lugares previstos para visitação, se houver; rota; contatos no território, levantamento de associações, APLs, lideranças ligadas a agricultura familiar, pessoas referências, dados importantes a serem vistos.  2 dias antes da viagem: (Kithi) organização da equipe,  dos equipamentos e das necessidades;
15 dias imersos - gravando a estrada, os produtores previstos, inserir as demandas interessantes do caminho, a noite (cinegrafista e técnico de áudio) baixar e organizar dados, (Kithi) construção de diário textual do caminho (tratamento de dados);
Chegada 15 dias na cidade- (Motorista) limpa o carro e devolve, somente retornando na próxima viagem; (Kithi) Entrega do material a base da cidade. Reunião com todos da equipe para repassar os dados e alinhar a produção dos vídeos com os textos - Já vou ter uma base construida durante a viagem. (Editor de vídeo e jornalistas da cidadade ) começa a produção . Liberação da equipe de campo por 5 dias para respirar, sem contato algum. 10 dias na cidade da equipe de campo - (Kithi) assistencia na produção de conteúdo, direção dos vídeos; (cinegrafista e técnico de áudio) edição de áudio, carrocel de fotos, atender a necessidade de quem vai montar a matéria. Planejamento da próxima viagem.

A mesma pessoa que for secretaria(o) é o bibliotecário digital. Ele quem vai organizar os dados para que todos da equipe  possam ter acesso

PARA PENSAR

Poderíamos fazer um podcast e inserir na página - enquanto estava em campo já via quem daria um papo bom, passava para o jornalista de podcast e a entrevista seria realizada por telefone. Cobri as eleições de Angola no Brasil para uma rádio de Angola e deu super certo fazer tudo por telefone. Só colcoar um jornalista a mais. Tenho o Jornalista de São paulo que fez o serviço para Angola. Ele é radialista.

Não coloquei no orçamento filmagem de drone. Pode ser algo pontual.

bottom of page